quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Aparência dos extraterrestres

QUE APARÊNCIA  POSSUEM OS  EXTRATERRESTRES ?


O LIVRO DOS ESPÍRITOS
Questão 181 – “Os seres que habitam diferentes mundos têm corpos diferentes dos nossos e de acordo com as condições dos mundos que habitam. Esse envoltório, porém, é mais ou menos material, conforme o grau de pureza a que chegaram os Espíritos”.
           
O CONSOLADOR
Questão 73 -“A humanidade terrestre é idêntica à doutros orbes?R.:“Nas expressões físicas, semelhante analogia é impossível, em face da leis substanciais que regem a cada plano evolutivo; mas procuremos entender por humanidade a família espiritual de todas as criaturas de Deus que povoam o Universo e, examinada a questão sob esse prisma, veremos a comunidade terrestre identificada com a coletividade universal.”(O Consolador, Francisco Cândido Xavier  pelo Espírito Emmanuel, Cap. III, Questão 73)

Allan Kardec em “A Gênese”, pág. 113 escreve: “Não vejais nos planetas desconhecidos apenas os três reinos que se estadeiam ao vosso redor. Pensai assim como nenhum rosto se assemelha a outro rosto, também uma portentosa diversidade, inimaginável, se acha espalhada pelas moradas eternas que vogam nos Espaços.




 Na realidade alguns pesquisadores sempre se opuseram à idéia de se fazer uma classificação mais detalhada dos ocupantes dos Ovnis,  pois devido a raridade deste tipo de observação ,como também  a quebra de seqüência lógica dos acontecimentos registradas nos depoimentos, aliado a rapidez com que ocorrem os supostos contatos, acrescido obviamente, à diversidade da própria aparência desses seres, gerando uma diversidade fenotípica descrita por parte dos contatados muito grande.  São registrados relatos de contatos com seres de várias características físicas, como indivíduos de cerca de 3 metros de altura, louros, olhos amendoados, ou cerca de 1 metro de altura, pele cinza-esverdeada ou azuis, olhos grandes, alguns de cor amarela, outros de cor preta, outros de cor vermelha, nariz e orelhas pontudas ou atrofiadas ou peludos. Seres translúcidos, com capacidade de volição e interpenetração na matéria, como também  humanóides de aparência bastante próxima aos humanos mais altos ou mais baixos, mas com alguma característica sobre-humana. Existem ainda, referências embora raras, a seres alados, ou de aparência replítica, abrangendo por parte dos pesquisadores uma classificação pormenorizada em diversas categorias, temos também nessa pequena categoria  seres robóticos  e duas espécies trabalhando em conjunto como os tipos greys e nórdicos como verificado no caso Travis Walton. Muitos desses seres mais assemelhados com  nóss humanos aparecem vestidos com macacões e alguns contém insígnias, outros poucos apresentam-se com algum tipo de capuz.   Muitos relatos sugerem seres andróginos, quanto a isso, especificamente  no cap. XXIII, de  Evolução em Dois Mundos”, o Espírito André Luiz, assevera que na medida que o Espírito vai alcançando graus mais elevados na hierarquia do aperfeiçoamento espiritual, vai ele gradativamente perdendo as características acentuadas dos dois sexos, por que elas vão se fundindo para surgirem muito mais belas e superiores as qualidades humanas, formando um ser andrógino. Vejamos: Quando  a perda dos característicos sexuais, estamos informados de que  ocorrerá, espontaneamente, quando as almas humanas tiverem assimilado todas as experiências necessárias a própria sublimação, rumando, após milênios de burilamento, para a situação angélica, em que o indivíduo deterá a masculinidade e a feminilidade refletindo em si, nos degraus avançados da perfeição, a glória divina do Criador.”


Abaixo podemos verificar os inúmeros biotipos que se revelaram a nós através da descrição de testemunhas que mantiveram contato com esses seres em nosso planeta. Cabe-nos ressaltar que em alguns relatos mulheres extraterrestres encontram na tripulação dos Ovnis. A título de estudo colocamos alguns casos em que se observou a presença feminina no interior das Naves: Caso Lins; Caso Embornal; Caso Karran; Caso Vilas Boas; Caso  Nelson Tasca, todos acontecidos no Brasil.
































 Desta forma, segundo a vasta literatura espírita/espiritualista, alguns Espíritos, que estiveram em outros orbes habitados do nosso sistema solar, registraram biótipos bastante diferentes do homem terrestre, apesar que nos casos relatados, a silhueta é sempre humana.

A Humanidade de Saturno

“Contemplando o espaço muito acima de nós, vi grandes massas multicores, que tomei por variegadas nuvens, e , ao mesmo tempo notei que seres estranhos evolucionavam nos ares em gráceis movimentos apesar de me parecerem bizarros. Nada tinham de comum com os tipos a humanidade terrena afigurando-se-me extraordinariamente feios com a sua organização animalesca, com suas membranas à guisa de asas, tão estranhas para min, as quais lhe facultavam o poder de volitar a vontade.”Não são, contudo, seres perfeitos como talvez presumas: são ainda falíveis, mais o que te procuro demonstrar é a sua incontestável superioridade sobre o orbe que abandonaste.”(Cartas de uma Morta,Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Maria João de Deus,Ed. Lake, págs.38 a 44).

 A Humanidade de Marte

            As informações relacionadas com o biótipo marciano, pelo Espírito Maria João de Deus são análogas as descritas por Ramatis, em seu livro intitulado “O Planeta Marte e os Discos Voadores”. Curiosamente existem  concordâncias com o livro chinês Shan-Hai-Ching que nos fala de uma raça humana de asas denominada Miao, que por volta de 2.400 A .C. perdeu a capacidade de voar e foi exilada depois de desobedecer a Senhor do Alto. Temos ainda os Karibus figuras mitológicas da antiga Babilônia, assim como os Querubins e os Anjos bíblicos, que de uma forma geral, apresentam-se com asas. Será que essas figuras consideradas mitológicas ou mesmo espirituais são na realidade visitantes oriundos do planeta Marte em visitações na Terra?

“Vi homens mais ou menos semelhantes aos nossos irmãos terrícolas, mas os seus organismos possuíam diferenças apreciáveis. Além dos braços tinham ao longo das espáduas ligeiras protuberâncias à guisa de asas que lhes prodigalizavam interessantes faculdades volutivas. Percebi que a vida marciana é mais aérea.”(Cartas de uma Morta,Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Maria João de Deus,Ed. Lake, pág.79).






A Humanidade de Sírius

Pouco depois, hei-la que aponta portentosa esfera inconfundível em magnificência e grandeza. O espetáculo maravilhoso de suas perspectivas excedia a tudo que pudesse caracterizar a beleza, no sentido humano. A sagrada visão do conjunto permanecia muito além da famosa cidade dos santos, idealizada pelos pensadores do Cristianismo. Três sóis, rutilantes despejavam no solo redondo oceanos de luz mirífica, em cambiâncias inéditas, como lampadários celestes acesos para endênico festim de gênios imortais. Seres alados iam e vinham, obedecendo a objetivos santificados, num trabalho de natureza superior, inacessível a compreensão do terrícolas.Alcione penetrou num templo de majestosas proporções, dominados por pensamentos intraduzíveis. Muito acima da nave radiosa, elevava-se uma torre translúcida, trabalhada em substância sólida e transparente semelhante ao cristal, de cujo interior jorravam melodias harmoniosas. O santuário augusto era uma vasta colmeia de trabalho e oração.”(Renúncia, Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Emmanuel, Ed. Feb., págs. 25 e 26)

Humanidade das Pléiades pertencente a constelação de Touro

No livro Transição Planetária , pelo espírito Manoel Philomeno Batista de Miranda, através de Divaldo Franco, lemos págs.18 a 22, relata a visita de um extraterrestre de nome Órion, pertencente a constelação de Touro, particularmente de uma das Pléiades  " Era de uma estatura um pouco mais alto do que o terrícola padrão. Os olhos pareciam duas estrelas fulgurantes...."



Em nossa pesquisa sugerimos também a idéia da possibilidade de que em alguns casos, indivíduos desconhecedores  da   realidade  espiritual  estarem  classificando  aparições  de  certas  entidades  pertencentes ao círculos de evolução do planeta Terra como seres vindos do espaço,  ou  seja,  de outros planetas.   Muitas  desses  relatos  não   estão   diretamente  associados  a  Naves  e   suas particularidades como marcas no solo, radiação, etc. Dessa forma as aparições individuais somente de seres, podem ser causadas por Espíritos desfigurados que habitam o Umbral ou por inteligências ainda arraigadas ao mal que pela própria natureza e vontade de seus  pensamentos  desfiguram sua própria aparência ou de outros Espíritos, plasmando  formas desfiguradas  e diabólicas ou  mesmo híbridas, similares aos seres descritos pela  nossa mitologia com o simples objetivo de confundir  e desinformar as pessoas com relação ao próprio fenômeno Ovni.  O  Espírito  Jacob   em   “Voltei”, pág.  75, nos relata os seres que  visualizou nas  regiões  umbralinas: “Não   estou  autorizado  a descrever o que vi nesse particular,  mas  posso  afirmar que as figuras sinistras da Mitologia ficam a dever a realidade com que eu era surpreendido.”

Fenômenos   manipulados   de   zoantropia   e   desfiguração   do   perispírito são facilmente executados por entidades que vivem e comandam certos   setores  das  regiões   umbralinas. Todos esses fatores conjugados, acrescidos de fenômenos naturais  de  aparição não compreendidos,  nos seus mais variados matizes, como também as manifestações dos  chamados  Espíritos da Natureza na sua imensa diversidade, se percebidos, podem ser considerados como  seres  oriundos de outros planetas por indivíduos desconhecedores da realidade do mundo espiritual.  Na  cultura religiosa do passado e do presente encontraremos  esses últimos   sob  a  denominação  de  devas,  elementais,  fadas,  gênios,  silfos, elfos, djins,  faunos, etc.

Na realidade esses seres identificados como “Espíritos da Natureza”,  não estão classificados em  critério excepcional na ordem da Criação, sabemos, segundo informações  dos autores espirituais, que estão em trânsito evolutivo, mediante as reencarnações entre o psiquismo do Primata e do Homo sapiens, ainda destituídos de discernimento, ingênuos e simples na sua estrutura espiritual íntima e que são utilizados pelos Espíritos, encarnados ou não, para uma outra atividade, conforme nos tem demonstrado a observação nesse campo. Na realidade esses Espíritos apesar de pertencer ao plano astral, encontram-se em toda a parte: na superfície da terra; na atmosfera, nas águas, nas profundidades da subcrosta, junto ao elemento ígneo, invisíveis aos olhares humanos executam infatigável e obscuramente um trabalho imenso, nos mais variados aspectos, nos reinos da Natureza, junto aos minerais, aos vegetais, aos animais e aos homens. A teosofista Helena Blavatsky fez uma exaustiva pesquisa a  tal  respeito  e  os classificou largamente os reinos sob os nomes: gnomos, conhecidos como os elementais da terra, governam e preservam o corpo da terra ou físico, mantém o equilíbrio das forças naturais do planeta e vêem que todas as necessidades diárias de todos os seres vivos sejam atendidas. São orientados pelos chamados, Senhores da terra, engenheiros espirituais especialistas nas construções de aquedutos inferiores da esfera terrestre, empenhados em calcular, medir, aprofundar ou elevar os níveis de água por toda a crosta terrestre. Silfos, elementais do ar, servem do domínios dos céus, da purificação do ar, e do sistema de pressão do ar. Isto tudo é percebido nas mudanças alquímicas do tempo e dos ciclos de fotossíntese e precipitação. São orientados, pelos Senhores dos ventos e das tempestades preparam a continuidade do fenômeno em toda a superfície terrena objetivando o arejamento e por conseguinte no cálculo, peso e medição, purificação da atmosfera que deva prevalecer em cada setor da vida terrena, para permitir a existência de seres humanos e animais, num mundo prestes a receber categoria de Espíritos mais elevados. As ondinas governam os ciclos da fertilidade e do elemento ou corpo da água, elementais das águas, desenvolvem um trabalho nos oceanos, rios, lagos e pingos de chuva, que fazem parte na reformação do corpo físico da terra e do ser humano. São orientados pelos Senhores das águas espíritos cujo poder consiste na movimentação do volume líquido das fontes, dos rios, lagos e mares, para abastecimento, movimentação, atendimento necessário em todos os recantos do globo terráqueo. As salamandras, elementais do fogo, guardam os mistérios e segredos do elemento ígneo, correspondem ao plano ou corpo etérico. São orientados pelos Senhores da chama são incumbidos do aquecimento indispensável nas camadas do subsolo, para promover a germinação e o crescimento das plantas, inclusive trabalhando na elaboração de novas espécies. Todos eles se interessam aos trabalhos mediúnicos do Espiritismo, como de fato foi comprovado por inúmeros pesquisadores desse campo.




Anjos de Henoc


            A Cabala supostamente atribuída a Henoc, descreve com grande riqueza de detalhes os “outros sete mundos” e seus habitantes, dando denominações diversas que na realidade são muito parecidas com as descrições de André Luiz, bem como a de outros Espíritos e autores que descrevem a vida nas camadas vibracionais que circundam ao planeta. Muitos ufólogos consideram as descrições de Henoc como contatos extraterrestres, mas o mais provável, é que o neto de Adão, possa ter percebido realidades do plano astral, como  ele mesmo menciona os “outros sete mundos” que na realidade são as várias camadas do plano etéreo que circundam o planeta Terra, e por conseguinte o reino dos elementais. Seguem-se abaixo trechos da Cabala:“Os habitantes do mundo de “Geh” semeiam a plantam árvores. Comem de tudo que a árvore produz, mas desconhecem o trigo e todos os cereais. Seu mundo é sombrio e lá há muitos animais de grande porte.Os habitantes do mundo de “Nesziah” comem arbustos e plantas, que não precisam cultivar. São de baixa estatura e, ao invés do nariz, possuem dois orifícios na cabeça, pelos quais respiram. São muito esquecidos e, freqüentemente, não sabem por que começaram o trabalho que estão fazendo. No seu mundo há  um só vermelho. O habitantes do mundo de “Tziah” não precisam comer daquilo que os outros comem. Estão sempre à procura de veios de água. Seu rosto é de grande beleza e sua fé é a mais forte de todos os seres.No seu mundo há grandes riquezas e muitas construções bonitas. O solo é seco e lá se vêem dois sóis.Os habitantes do mundo de “Thebel” comem de tudo que provem da água. São superiores a todos os outros seres e seu mundo é dividido em zonas, cujos habitantes se distinguem entre si pela cor da pele e pelas feições do rosto. Ressuscitam seus mortos. Seu mundo fica longe do sol.Os habitantes do mundo de “Erez” são descendentes de Adão.Os habitantes do mundo de “Adamah” também descendem de Adão, pois Adão queixou-se da solidão no mundo de “Erez”. Lavram a terra e comem plantas, animais e pão. Quase sempre vivem tristes e fazem guerra entre si. Nesse mundo há dias e o agrupamento das estrelas é visível. Antigamente, receberam a visita freqüente de habitantes do mundo de “Thebel”; mas lá os visitantes perderam a memória e se esqueceram de onde vieram.Os habitantes do mundo de “Arqa” fazem a semeadura e a colheita. Seus rostos são diferentes dos nossos.Visitam todos os mundos e falam todas as línguas”.

O Espírito André Luiz, nos descreve algumas entidades que se enquadram perfeitamente ao biótipo descrito por  Henoc referentes aos habitantes de Geh e Nesziah, que se visualizado pode ser classificado facilmente como extraterrestre, por aqueles que desconhecem o mundo espiritual. 

Comparemos: “...Exemplares inúmeros de pigmeus, cuja a natureza em si ainda não posso precisar, passavam por nós, aos magotes. Plantas exóticas, desagradáveis ao nosso olhar, ali proliferam, e animais de cópia abundante, embora monstruosos, se movimentavam e esmo, dando-me a idéia de seres acabrunhados que pesada mão os transformara em duendes” “...Quem não cumpre aqui dolorosa penitência regenerativa, pode ser considerado inteligência subumana. Milhares de criaturas, utilizadas nos serviços mais rudes da natureza, movimentam-se nestes sítios em posição infraterrestre.”(Libertação, Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito André Luiz, pág. 60, Ed. Feb.)




  Vejamos; 

“Nona classe. Espíritos Levianos __    São ignorantes,  maliciosos,  irrefletidos  e   zombeteiros. Metem-se em tudo, a tudo   respondem,  sem se incomodarem com a verdade.  Gostam  de causar pequenos desgostos e ligeiras alegrias, de intrigar, de induzir maldosamente  em erro, por  meio de mistificações e de espertezas. A esta classe pertencem os Espíritos     vulgarmente  tratados de duendes, trasgos, gnomos, diabretes. Acham-se sob a dependência dos Espíritos superiores, que muitas vezes os empregam, como fazemos com os nossos servidores.”   ( Allan Kardec, O Livro dos Espíritos, Parte 2º, Cap.I, Item 103).




            A Bíblia por ser um livro de caráter universal  faz também várias menções a estes seres que se encarregam da natureza e das suas manifestações. O salmista faz uma alusão a esses seres no Salmo cap.103, v.4: “Fazeis dos ventos vossos mensageiros dos flamejantes relâmpagos vosso ministros.” Jesus dado a sua infinita superioridade recorre a eles em Mateus cap.8,vs.26 e 27:“E Jesus perguntou: “Por que este medo, gente de pouca fé?” Então, levantando-se, deu ordens aos ventos e ao mar, e fez-se uma grande calmaria. Admirados, diziam: “Quem é este homem, a quem os ventos e o mar obedecem ?” No Apocalipse,  João cap. 1, v.6, assevera que eles tem o poder de controlar os elementos:“Esses homens tem o poder de fechar o céu para que não caia chuva durante os dias de sua profecia; tem  poder sobre as águas, para transformá-las em sangue, e de ferir a terra, sempre que quiserem com toda a sorte de flagelos”

Em seu livro intitulado “Confrontos”, Zaques Vallee , cientista da Nasa e um dos mais conceituados pesquisadores de Ovnis,  nos diz o seguinte:

“Estamos tratando com um nível desconhecido de consciência, independente do homem, mas ligado de perto com a terra . Não creio mais que os Ovnis sejam simplesmente espaçonaves de alguma raça alienígena de visitante extraterrenos. Essa noção é demasiado simplista para explicar sua aparência, a freqüência de suas manifestações através de toda a história registrada e a estrutura da informação trocada com eles durante o contato.”



É necessário conhecer o mundo espiritual mais profundamente para melhor entender e classificar melhor o fenômeno Ovni.

Nenhum comentário:

Postar um comentário